Tour de France: A pedalar a partir de hoje

O Tour de France arranca hoje. Com a mesma emoção e expectativa para os amantes do ciclismo, independentemente dos inúmeros casos de doping que vão surgindo em catadupa ao longo dos anos. Para além de tudo o resto, há Lance Armstrong. Outra vez. O ciclista norte-americano decidiu regressar à competição após um interregno de três anos. Por isso, pelas suas sete vitórias na maior prova de ciclismo internacional, é mais um motivo de interesse. Agora com trinta e sete anos, Armstrong promete, se sentir que o pode fazer, lutar pela vitória final. A sua oitava. Não terá de lutar com Jan Ullrich, Vinokourov ou Pantani mas não será tarefa fácil.

Nada existe a apontar às ambições de Armstrong, mesmo desconhecendo a sua real condição física. No entanto, o seu maior obstáculo mora ali ao lado: Alberto Contador, seu colega de equipa. O jovem corredor espanhol é, naturalmente, o líder da Astana. Por mérito próprio pois já possui vitórias no Tour, no Giro e na Vuelta. Além disso, em 2008, não pôde estar em França devido a suspeitas de doping que levaram a que a organização não tenha convidado a equipa Ele próprio assumiu a vontade de voltar a ser coroado em Paris e é, quase de forma unânime, apontado como principal favorito. Para ter sucesso, Contador poderá ter um precioso apoio de… Lance Armstrong, pois então. Ao longo dos dias, se perceberá a estratégia da Astana.

Além da dupla Contador/Armstrong, quem mais ambicionará vencer o Tour 2009? Carlos Sastre é um deles. O ciclista espanhol, agora nos suíços da Cervélo, foi o vencedor da última edição, daí que seja um nome a ter em conta. Possuirá uma equipa que trabalhará para isso. Há Denis Menchov, da Rabobank, recente vencedor do Giro de Itália. A Saxo Bank comandada por Bjarne Riis (antigamente CSC, equipa de Sastre no ano passado) aposta nos manos Schleck, Andy e Frank. A esse lote poderá juntar-se Cadel Evans, australiano da Silence-Lotto, que tem acumulado segundos lugares e anseia por subir ao lugar mais alto do pódio. O vencedor da nonagésima sexta edição do Tour de France é um destes nomes.

Importa também falar da Caisse d’Epargne, equipa que não terá o crónico candidato Alejandro Valverde por decisão da organização do Tour. Daí que a equipa espanhola não tenha um homem-forte para chegar à camisola amarela. Seja como for, a Caisse d’Epargne conta com Oscar Pereiro, proclamado vencedor da competição em 2006 após um controlo positivo de Floyd Landis. Pereiro tem sido um fiel escudeiro de Valverde nas provas internacionais mas sem o líder, quer ele quer Luis Leon Sanchez poderão ambicionar chegar mais longe. Porém, não são, nem de perto nem de longe, favoritos.

Ciclistas portugueses. Ainda não falamos deles mas esta edição do Tour contará com dois: Sérgio Paulinho (Astana) e Rui Costa (Caisse d’Epargne). Inseridos em duas das melhores equipas do pelotão internacional, os portugueses terão a missão de ajudar os seus líderes. Paulinho, principalmente, por se tratar de um ciclista mais experiente e que já fez companhia a Alberto Contador no Tour de 2007. Rui Costa é ainda um jovem e, de forma algo surpreendente, foi escolhido para participar na competição já este ano. Depois dos feitos de Joaquim Agostinho (foi terceiro em 1978 e 1979) e José Azevedo (quinto em 2004, na US Postal de Armstrong), Portugal volta a estar bem representado no Tour. E o FUTEBOLÊS vai acompanhar.

Anúncios

Comentar. Com qualidade e com opinião própria. Sem ofensas e sem excessos.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s