Exclusivo Paulo Futre – Parte dois

Paulinho, Paulo Futre e El Portugués: vontade, talento e glória.

Estas botas, estas maravilhosas botas, são as botas com que fui campeão europeu e é a olhar para elas que quero dizer que acabou a minha carreira desportiva. A notícia da despedida de Paulo Futre chegou com surpresa. E abalou o futebol internacional. Foi em 1996. Só que o futebol vive de momentos, paixões e impulsos. Porque o seu Atleti chamou. Fê-lo despir o fato e voltar aos calções. Haverá maior prova de amor? Futre tinha chegado em 1988, como campeão europeu, maior desejo de Gil y Gil, bandeira eleitoral, ganhou espaço, tocou o céu e por lá ficou. Em Madrid, logo se tornou rei. Ou mais do que isso.

Paulo Jorge dos Santos Futre teve uma vida louca. E apressada. Nunca esperou pelo dia seguinte, agiu sempre quando pôde. Do Montijo até chegar ao topo, com o FC Porto, foi um piscar de olhos. Ser um fenómeno em Madrid, como é fácil de perceber, não demorou muito mais. Cerrou os dentes e entregou-se à luta. Quem é, afinal, Paulo Futre? Homem impulsivo, com espírito revolucionário, jogador genial e dirigente audaz? A pergunta é feita ao próprio. Solta uma gargalhada. “Fico muito satisfeito se alguém pensar isso de mim!”, diz. E sente-se feliz. Agora, abriu-se ao Mundo.

“O POVO TEM GRANDE CONSIDERAÇÃO POR MIM

P: Disseste que quando os toureiros se retiram cortam a trança. Qual foi a maior faena?

PF: É verdade! E até cortei o cabelo quando me retirei definitivamente, para “cortar com o passado” e começar uma nova fase, sabes? Quanto à maior faena… há dois jogos que marcam a minha vida: a final contra o Bayern e a final da Copa do Rei com o Real. Partimos aquilo tudo. Inolvidável! [sorriso]

P: Saíste de Viena, em 1987, pela porta grande e em ombros. Foi aí que ganhaste estatuto internacional?

PF: Sem dúvida. A Europa passou a saber que eu existia e podia ser um caso sério no futebol.

P: Estas botas, estas maravilhosas botas, são as botas com que fui campeão europeu e é a olhar para elas que quero dizer que acabou a minha carreira desportiva. Mas, afinal, ainda continuou. Fizeste bem em regressar? Ou ficou arrependimento?

PF: Sabes que me arrependo pouco daquilo que fiz… Ou quase nada, até. Na altura voltei porque tinha de voltar, não havia nada a fazer. Naquela situação era impossível não voltar a jogar: com tanto apoio, tanto carinho e tanta pressão positiva dos adeptos, eu tinha mesmo de voltar. Além disso senti que o clube precisava de mim. E o Jesus [Gil y Gil] também. E apesar das dores e do sacrifício que fiz, foi uma sensação fantástica. Parece que renasci.

P: Saí por dinheiro e acho que tenho uma dívida. Não ter voltado ao Sporting, em 1993, marcou-te? Muitos sportinguistas não esquecem a ida para o Benfica…

PF: É, mas a grande maioria já sabe o que se passou. O presidente do Sporting na altura tinha tudo apalavrado comigo e à última hora fugiu. Depois apareceu o Jorge de Brito com um timing perfeito e convenceu-me a ir para o Benfica. Acho que os sportinguistas sabem o que se passou e não guardam tanto rancor assim.

P: Foste o melhor jogador português da tua geração?

PF: [risos] Isso é uma boa pergunta para os adeptos. Fui sem dúvida o primeiro a ter projecção internacional ao jogar no estrangeiro, mas havia grandes jogadores na nossa selecção, por isso…

P: Portugal ainda não reconheceu todo o teu talento?

PF: Às vezes perguntam-me se não tenho mágoa por isso. Mas sinceramente, os últimos meses têm provado o contrário. O reconhecimento das pessoas, os pedidos de autógrafos, os convites para convívios e mesmo para conferências sobre futebol, liderança e gestão de crise em empresas são o maior reconhecimento que podia ter. O povo tem uma grande consideração por mim, apesar de estar há vinte e quatro anos a viver em Espanha, o que é um orgulho enorme.

Advertisements

One thought on “Exclusivo Paulo Futre – Parte dois

Comentar. Com qualidade e com opinião própria. Sem ofensas e sem excessos.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s